Como funciona a maquininha de cartão de crédito?

Como funciona a maquininha de cartão de crédito?

As máquinas de cartões estão espalhadas por vários balcões de lojas, mediando transações de milhões de produtos e serviços entre pessoas físicas e empresas. Elas são equipamentos utilizados, sobretudo, para pagamentos presenciais.

Por ser um objeto tão presente no nosso dia a dia, algumas dúvidas sobre seu funcionamento são bem comuns. Para entender como funciona a maquininha de cartão de crédito, é preciso antes conhecer as etapas e os agentes desse processo.

Quer saber como? Então, leia o post até o final e entenda a complexidade desses dispositivos, suas vantagens, desvantagens e suas taxas.

Números da maquininha de cartão

Há cerca de 10 anos, existiam apenas duas grandes credenciadoras que disputavam a liderança na “guerra das maquininhas”. Atualmente, mais de 30 adquirentes e 290 subadquirentes entraram no jogo, segundo a Câmara Interbancária de Pagamentos.

Isso representou uma distribuição massiva nos dispositivos nas empresas no território nacional. De acordo com Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, no fim de 2019 existiam cerca de 9 milhões de maquininhas POS ativas no País.

Esse número só aumentou com tempo, assim como a quantidade de transações. Ao final de 2020, foram transacionados mais de R$ 2 tri em cartão de crédito e débito em todo o país, segundo a ABECS.

Mesmo com o impacto da pandemia, esse número representou crescimento de 8,2% em relação ao ano anterior.

Quem participa da venda na maquininha

Antes de entender como funciona a maquininha de cartão de crédito, precisamos avaliar quais participantes estão envolvidos nesse processo. Sendo assim, vamos destacá-los abaixo:

Consumidor ou portador do Cartão

É quem realiza a compra pelo cartão mediante senha ou qualquer outro tipo de segurança para confirmar a finalização da compra.

Estabelecimento Comercial

É quem oferece o produto ou serviço com a utilização da maquininha de cartão.

Credenciadora, operadora ou adquirente:

Facilita o fluxo de informações que são trocadas entre a máquina de cartão, o processador de pagamentos e o banco do cartão de crédito do cliente.

Instituidor do Arranjo de Pagamento (Bandeira)

Mediam as operações entre o usuário e a operadora. definindo limites, prazos e as regras de uso do cartão.

Emissor do Cartão

O banco ou instituição que emite o cartão de crédito, bem como a sua bandeira.

Instituição Domicílio do Estabelecimento Comercial

O banco no qual o vendedor do negócio possui conta e que realiza todos os processos que envolvem todas as transações de crédito e débito do vendedor.

Como funciona a maquininha de cartão

Com todos esses agentes enumerados, confira agora como funciona o processo de vendas em uma maquininha de cartão.

  1. O consumidor se dirige até estabelecimento e opta por pagar pelo produto ou serviço através de cartão;
  2. o estabelecimento comercial disponibiliza a maquininha (POS ou TEF) para que a transação seja realizada;
  3. quando o cartão é passado, os dados da venda são enviados para a credenciadora;
  4. a credenciadora se conecta à bandeira para identificar o Emissor do Cartão e checar se a transação é possível;
  5. se o consumidor tem saldo disponível ou limite no crédito, então a credenciadora é notificada e a transação é autorizada;
  6.  a requisição retorna ao dispositivo da empresa, o recibo é impresso e a venda é concluída.

Tipos de maquininhas de cartão de crédito

No mercado, existem diversos tipos. Conheça alguns deles abaixo:

POS

Sendo a mais comum, esse tipo de máquina funciona através da sua conexão a uma linha de telefone, imprimindo a Nota Fiscal, sem precisar de um segundo dispositivo.

Por ser parceira de diversas empresas de cartões de crédito, é necessário verificar quais são as bandeiras aceitas.

POS Wireless

Praticamente igual ao POS, mas já tem a sua funcionalidade baseada em rede wireless. Contudo, é interessante adquirir esse tipo de máquina tendo certeza que a qualidade do Wi-Fi seja eficiente.

Caso o sinal oscile com frequência, os processos de compras e vendas serão mais trabalhosos, causando incômodo para clientes.

TEF

Máquinas tipo TEF são utilizadas através de uma conexão com a internet, ou a um computador. Dessa forma, dispõe de links que podem trabalhar de forma simultânea com a geração e emissão de Notas Fiscais.

Uma de suas vantagens é o fato desse modelo poder trabalhar com mais de uma adquirente.

Vantagens e desvantagens das maquininhas de cartão de crédito

Vantagens

  • Mais confiança e reconhecimento dos clientes na hora de fechar negócios;
  • Otimização de tempo oferecendo praticidade e rapidez em processos de pagamentos
  • Aceitam diversas bandeiras, pagamentos em moeda estrangeira, vale alimentação, etc;
  • Permite serviços secundários, como recargas de celular.

Desvantagens

  • Processo burocrático para liberação de uso e processo que varia entre as empresas;
  • Cobrança de taxas por cada transação realizada;
  • Operação sujeita à fraude;
  • A qualidade da cobertura da internet, Wi-Fi ou telefonia afeta na hora da venda, podendo até impedir a transação.

Taxas das maquininhas de cartão de crédito

O processo de venda nas maquininhas acontecem em milésimo de segundos. Por utilizar a tecnologia e a estrutura de várias empresas, os empresários precisam pagar pela utilização dos serviços.

Confira abaixo os principais valores cobrados.

Mensalidade

A taxa de aluguel mensal da máquina de cartão depende do modelo escolhido. Elas estão diretamente ligadas à quantidade de funcionalidades oferecidas pelas operadoras.

Em alguns casos, também pode ser necessário pagar um valor no ato de adesão

Taxa de aquisição

É o valor pago ao comprar a maquininha. Não há mensalidades e são cobradas apenas as taxas por vendas realizadas pelo aparelho.

Tarifa de venda

É a taxa porcentual cobrada sobre a venda do produto. Ela pode variar conforme a empresa escolhida e o tipo de transação (crédito, débito ou parcelado, por exemplo).

O que vem depois da venda

Todo lojista precisa entender como funciona a maquininha de cartão de crédito para poder utilizá-la em seu negócio sem problemas que pode gerar prejuízos e perdas financeiras.

No entanto, muitos esquecem que o processo não se encarra com a venda. Depois disso, é preciso garantir que, de fato, os valores transacionados pelas maquininhas caíram na conta da empresa.

Esse processo, uma espécie de auditoria, é chamado de conciliação de vendas.

No caso das transações feitas por cartões de crédito ou débito, ele confronta as informações das operadoras de cartão, do seu sistema de gestão e do seu extrato bancário.

Assim, é possível garantir que todas as vendas foram confirmadas, seus valores foram repassados e as taxas foram descontadas da forma correta.

Percebeu que saber como funciona a maquininha de cartão não é suficiente para o pleno sucesso do seu negócio? É preciso ir além!

Para te ajudar a entender melhor como funciona a conciliação de vendas em cartão, confira este material especial sobre o assunto: “Conciliação de Cartões Automática ou Manual?”

Queremos ouvir você! Responda à nossa pesquisa e nos conte como está sendo a sua experiência com os novos meios de pagamento, como Pix e carteiras digitais. Clique no banner a seguir e acesse a pesquisa!

Pesquisa Comportamento do varejo nos meios de pagamento

2Comentários

  1. http://Evandro%20DE%20OLIVEIRA 03/05/2021 at 10:25 am

    Bom dia.
    Excelente artigo. Simples e super didático.
    Eu fiquei curioso sobre credenciadoras.
    O estabelecimento comercial quando adquire esse serviço ele contrata uma única credenciadora ou a máquina trabalha com várias credenciadoras dependendo da operação?


    1. 03/05/2021 at 1:44 pm

      Olá, Evandro!

      Isso vai depender de como a empresa planeja realizar as suas vendas.

      Por exemplo, ela pode possuir várias máquinas POS de diferentes credenciadoras (Cielo, Getnet, Rede, Stone, etc) e escolher, manualmente, qual ela vai usar na hora de finalizar o pagamento.

      Mas se a venda é feita através de um sistema TEF, isso traz várias vantagens. Isso porque, através de configurações, o software trabalha com diferentes adquirentes através do mesmo pinpad.

      Outra vantagem do TEF, é que você pode selecionar, por exemplo, que vendas no crédito da bandeiras mastercard sejam passada por uma credenciadora com taxas mais vantajosas.

      Se você quiser aprofundar mais o seu conhecimento sobre POS e TEF, temos outro postagem aqui no blog sobre o assunto:

      https://boavistatecnologia.com.br/blog/pos-e-tef/

      Espero que tenha tirado sua dúvida!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.