Fraude Pix: como criar um ambiente seguro para clientes da sua empresa
Pix

Fraude Pix: como criar um ambiente seguro para clientes da sua empresa

Com o intuito de facilitar a transação bancária, o Banco Central criou o Pix, o sistema de pagamento instantâneo brasileiro. Através dessa possibilidade, a tecnologia entrou em funcionamento no dia 3 de Novembro de 2020. E, infelizmente, a fraude Pix já é uma realidade no Brasil.

O Pix foi criado para aumentar a velocidade da transação entre contas, incentivar a eletronização de pagamentos, alavancar a eficiência do mercado, baixar o custo, aumentar a segurança e promover a inclusão financeira.

Isso abre atrai criminosos cibernéticos que se aproveitaram da situação para realizar golpes.

Por isso, se você decidiu usufruir desse método de pagamento, é importante criar um ambiente seguro para os clientes da sua empresa. Veja abaixo quais são as fraudes e como assegurar que seu estabelecimento seja envolvido em falcatruas.

Golpe da clonagem do WhatsApp

O atual período pandêmico somado ao isolamento social, ao home office e ao maior número de internautas online, tornou-se o ambiente propício para a aplicação de golpes cibernéticos.

De acordo com o estudo realizado pelo site Mobile Time, o WhatsApp é o aplicativo mais aberto ao longo das 24 horas, o mais usado pelos brasileiros. E claro, palanque para a Fraude Pix.

O criminoso atua enviando uma mensagem se passando pela empresa que a vítima possui cadastro ativo. Ele solicita o código de segurança enviado por SMS através do aplicativo, alegando ser uma atualização ou confirmação de cadastro.

Caso a vítima envie o código, seu WhatsApp é replicado no celular do criminoso. Ele age pedindo uma transferência via Pix aos contatos da vítima dizendo que é para uma situação de emergência.

Também pode acontecer o envio de um link falso que, quando a vítima clicar, sua conta é invadida e o golpista acessa sua instituição bancária e desvia o dinheiro através do Pix. Isso é um caminho sem volta, pois como esta transação demora cerca de 10 segundos, provar a fraude ao banco é um longo e complexo desafio.

Para evitar a clonagem do aplicativo, é de extrema importância habilitar a verificação de duas etapas do WhatsApp e não fornecer a ninguém o código utilizado frequentemente nessa etapa.

Golpe de engenharia social com o WhatsApp

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), as Fraudes Pix são identificadas como phishing, um tipo de roubo de identidade online.

Esta forma de ataque é usada com a técnica de engenharia social, onde os criminosos enganam as vítimas para obter informações confidenciais ou as induzem a praticar ações prejudiciais a si próprias.

Também relacionado ao WhatsApp, o golpista seleciona sua vítima, pega uma foto em sua rede social e cria uma nova conta no WhatsApp. Com isso, através de outro hackeamento, descobre números de contatos da vítima.

No próximo passo, o golpista se passa pela vítima e entra em contato com amigos e familiares, alega que precisou trocar de número por conta de algum problema e em seguida pede uma transferência via Pix para uma emergência.

Hoje, o próprio WhatsApp se encarrega de atualizar o número de uma pessoa quando há alguma mudança. Dessa forma, sempre desconfie de um contato que peça um Pix urgente, sempre confirme quem está por trás da tela.

Golpe do falso funcionário de banco e das falsas centrais telefônicas

Na hora de obter dinheiro, todo golpe é válido para os oportunistas, principalmente o mais clássico de todos: se passar por um funcionário de banco.

Seja através de uma ligação ou mensagem instantânea – também pelo WhatsApp – o golpista se passa por um funcionário do banco, alega que precisa de uma transferência via Pix para determinada chave (dados da conta) para regularizar o cadastro da vítima, caso ela não faça, seu cadastro será bloqueado.

Outra estratégia também é oferecer ajuda para cadastrar a chave Pix e em seguida realizar uma transferência de teste para regularizar o cadastro.

Nas falsas centrais telefônicas ocorre o mesmo, o suposto atendente tenta extrair informações da vítima sobre segurança, cadastro, senhas ou problemas em relação ao Pix. Com os dados necessários, o criminoso realiza seu golpe.

É necessário ressaltar que as instituições bancárias nunca solicitam os dados de clientes, muito menos realizam testes com o Pix para regularizar uma situação cadastral.

Golpe do bug do Pix

Se existe uma aliada dos estelionatários que serve como uma grande rede de pesca para esta técnica do phishing, essa aliada é a mídia.

Devido à grande circulação de informação, as fake news, são a isca perfeita para internautas inocentes e desatualizados. O golpe do bug do Pix é a prova viva disso.

Circulou pela internet uma notícia falsa de que havia um “bug do Pix”, bug significa uma falha no sistema eletrônico. Nesta notícia, a pessoa deveria transferir um valor exato para determinadas chaves Pix, em troca, com essa falha do sistema, ela receberia o dobro do valor transferido.

Golpe! Outra fraude via Pix. Essas chaves aleatórias eram de estelionatários, e claro, nenhum dinheiro era retornado.

Se isso fosse verdade, quem lançaria a notícia em primeira mão, seria o Banco Central ou qualquer outra instituição financeira. Por isso, é necessário muito cuidado com as fake news, principalmente envolvendo dinheiro. Sempre pesquise a origem da notícia.

A importância de fazer a conciliação de Pix

No que diz respeito ao Pix como forma de pagamento em um processo sem intermediários, ele é mais rápido e seguro. A própria empresa também recebe mais rápido em vez de esperar o banco liberar o dinheiro das maquininhas. Por isso, ele é muito próspero para empresas, pois:

• A transição é feita através de qualquer banco e cai na mesma hora;

• O pagamento é garantido por ser instantâneo;

• Não há preocupação com expediente bancário;

• Alternativa mais barata do que cartão, boleto e dinheiro.

Claro que, com essa modernização, é essencial que o sistema de pagamento seja integrado para que não haja falhas.

A fim de tornar a sua empresa mais segura para transações e evitar uma Fraude Pix, é necessário deixar explícito para os clientes que de forma alguma sua empresa entrará em contato pedindo um Pix e alertá-los sobre possíveis golpes.

Se você ainda tem dúvidas sobre como será a conciliação financeira do seu negócio com o Pix, baixe nosso e-book “Pix: Tudo o que você precisa saber”!

Pix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *