Confira os 8 principais KPIs financeiros para acompanhar na empresa - Blog da Boavista | Conciliação Financeira

Confira os 8 principais KPIs financeiros para acompanhar na empresa

Para que qualquer empresa consiga obter lucratividade e destaque no ramo dos negócios é imprescindível desenvolver processos de melhoria e controle da gestão financeira. Os KPIs financeiros são um importante recurso para a administração dos rendimentos. 

Além disso, também são uma forma eficaz de avaliar riscos, prospectar novos clientes e ter uma avaliação geral de como dar novos passos no futuro dos negócios.

Gerar competitividade é um dos objetivos principais de toda empresa. Os KPIs financeiros são uma excelente ferramenta de mensuração de desempenho corporativo, resultado e performance de ações e estratégias adotadas por uma organização.

Neste material, vamos conhecer algumas destas ferramentas de gestão financeira mais utilizadas no mercado.

Boa leitura!

O que são os chamados KPIs financeiros?

KPI é uma sigla para o termo em inglês chamado  Key Performance Indicator, ou em tradução livre, um indicador-chave de desempenho. 

O indicador é um desdobramento de métricas pré-definidas e que podem ser avaliadas em diferentes setores, do financeiro aos recursos humanos. As informações coletadas e organizadas permitem, por exemplo, melhorar a comunicação de todo o organograma de uma organização. 

Todos os dados são métricas. O que as difere de um KPI é a relevância no planejamento estratégico da empresa, de forma a definir novas metas e avaliar como a organização está avançando financeiramente.

Os KPIs precisam ser mensuráveis (geralmente em valores de porcentagem ou números absolutos), periódicos (de forma a constatar as evoluções ao mês, por bimestres, trimestres, semestrais ou anuais) e com informações claras e simples, para que os dados possam ser compartilhados e compreendidos por todos os colaboradores da empresa.

Em se tratando dos KPIs financeiros, os indicadores estão associados diretamente ao setor de economia e finanças da empresa, que envolvem números, os mais diversos custos, faturamento, o lucro, entre outras informações importantes. 

Qual a importância?

Com os dados coletados, fica mais ágil definir estratégias, analisar a situação da empresa no mercado e promover melhorias para sua gestão. 

Os indicadores financeiros auxiliam na melhor tomada de decisão, de forma consciente e consistente, com resultados acessíveis. Eles também contribuem para uma melhor avaliação e perfil do seu modelo de negócio.

Os KPIs financeiros também ajudam a identificar melhorias, quando são percebidas falhas ou erros nos indicadores diretamente associados ao setor de finanças. 

O uso dos indicadores auxilia sobretudo em atividades de consultorias, auditorias e gestão de crise, planos de acompanhamento, treinamento e desenvolvimento de colaboradores, além de melhorias contínuas.

Confira os 8 principais KPIs para o seu time de finanças começar a  acompanhar

1 – Faturamento 

No faturamento temos uma avaliação sobre o desempenho das vendas.

Ele é a soma dos rendimentos e também observa o volume de vendas da organização para realizar o indicativo do quanto elas representam em dinheiro no caixa.

Para chegar ao resultado desse indicador, o cálculo é bem simples: Somar todas as receitas  das vendas obtidas no período definido. O valor conquistado nesse intervalo de tempo é o referente ao faturamento do negócio.  

A partir daí é possível a comparação dos resultados esperados com os valores alcançados, assim como a avaliação de novas decisões.

2. Lucratividade

Com a avaliação desse indicador é possível verificar a expectativa de lucro da empresa, e se o desempenho financeiro está adequado ao retorno que foi definido inicialmente no planejamento da gestão. 

É um KPI financeiro diferente da rentabilidade. Nele, a mensuração se dá pelo valor de porcentagem entre o lucro líquido e a receita bruta.

O cálculo toma como referência dois fatores:

  • lucro líquido: o resultado do faturamento já com os descontos referentes a impostos, taxas e outras despesas obrigatórias;
  • receita bruta: todo o faturamento das vendas da empresa. 

A partir desse entendimento, basta usar a seguinte fórmula: Divide-se o lucro pela receita bruta, e o resultado é multiplicado por 100. O valor indicado na porcentagem é o que representa a lucratividade líquida da receita.

3. Rentabilidade 

Como explicado anteriormente, a diferença aqui está na aferição dos rendimentos e tem relação com investimento.

Ou seja, esse indicador avalia o quanto você aplicou de dinheiro na empresa e, após um período, o quanto ele gerou de retorno.

O cálculo é semelhante ao indicador de lucratividade, mas, em vez de usar a receita bruta como referência, utiliza-se o valor investido no negócio.

4. Liquidez 

A liquidez avalia a habilidade da empresa em gerar dinheiro suficiente e arcar com suas despesas durante um período curto de tempo.

O estoque e o capital de giro podem ser exemplos de avaliação da liquidez da empresa. Para o cálculo desse KPI, precisamos saber os ativos e passivos circulantes, ou seja, aqueles que possuem um vencimento de até 12 meses. 

Assim, a liquidez é o resultado da divisão entre ativo circulante e passivo circulante. Quanto maior o resultado melhor para a empresa, pois significa que o negócio tem capital suficiente para arcar com as despesas do período. 

5. Endividamento 

É um indicador muito importante para toda empresa porque avalia um risco alto, que são as dívidas da empresa. Nesse KPI obtemos uma avaliação observando se os pagamentos de juros, por exemplo, são maiores que o dinheiro obtido com os lucros do negócio.

Para entender melhor como isso funciona, é preciso conhecer bem dois tipos de conceito:

  • Bens passivos: quem tem a ver com as obrigações do negócio, como pagamento de fornecedores, mercadorias, entre outros compromissos.
  • Bens ativos: referentes aos bens da empresa como valores a receber, equipamentos, etc.

De posse dessas informações, podemos chegar ao endividamento pelo processo a seguir: a divisão do total de ativos pelo total de passivos. O resultado dessa operação é multiplicado por 100. O valor final é referente ao grau de endividamento, e quanto maior mais sério é o problema. 

Uma boa gestão financeira é essencial para conseguir sanar as causas do endividamento da empresa. 

6. Margem Bruta 

Esse KPI é essencial para a avaliação do desempenho financeiro da empresa, pois determina a margem da receita bruta após o pagamento das despesas fixas do negócio (folha de pagamento, estoque, gastos com aluguel de espaços físicos, etc), e se ela tem condições de se manter após esses gastos. 

Para encontrar o resultado dessa operação, teremos que subtrair do faturamento o valor de todos os custos da empresa. A porcentagem obtida será a margem bruta de lucro gerado pelo negócio.

7. Margem Líquida 

Precificar o valor das mercadorias pode ser difícil no início, mas sua margem de lucro depende desse planejamento. A margem líquida é um KPI financeiro que analisa o valor real restante após o pagamento das despesas.

Aqui, a fórmula para adquirir o valor da margem líquida é: a divisão do lucro líquido pela receita líquida, multiplicando o resultado por 100. O número encontrado é referente ao valor da receita que você realmente ganhou, sendo extremamente importante e efetivo para a construção de planejamentos financeiros mais assertivos e uma precificação mais justa para seus produtos.

8. EBITDA 

É o indicador que observa a geração operacional do caixa, a partir do desempenho e da produtividade da empresa. O EBITDA indica o potencial de criação de receita das empresas, e não leva em consideração os gastos efetuados para despesas.

Para realização do cálculo desse KPI, precisamos conhecer algumas informações:

  • Depreciação : significa a perda de valor de bens referente ao tempo, desgaste ou perda de função.
  • Amortização : referente a perdas de bens imateriais, como patentes. 
  • Lucro operacional : a receita gerada pelo negócio após o pagamento dos dividendos.

Tendo em mãos os dados sobre o lucro operacional da empresa, basta anexar a soma os valores de depreciação e de amortização. O resultado obtido das três receitas será o valor final do EBITDA.

Softwares de gestão para ajudar sua empresa 

Existem diversos outros exemplos de KPIs financeiros que podem contribuir na melhoria da gestão. Para que se torne um trabalho mais eficiente e controlado, é importante que o processo seja modernizado com o auxílio de tecnologias e softwares de gestão dos indicadores.

É importante ainda avaliar o perfil da empresa e quais tipos de indicadores serão necessários para contribuir com a evolução da gestão financeira do seu negócio.

Isso envolve ter um foco em um período específico, e em quais indicadores você deseja usar. Existe também o fator de relevância dos indicadores e em quanto tempo as métricas poderão ser usadas como parâmetros de avaliação recorrente. 

Dessa forma, a administração se torna mais confiável e, dependendo do tamanho da empresa, melhor monitorada pelos profissionais e gestores. 

Atualmente, existem diversos aplicativos e softwares disponíveis para executar o gerenciamento dos KPIs financeiros, inclusive disponíveis de forma gratuita. 

Entre os mais recomendados, estão os modelos : Reveal Analytics, Google Analytics, Baremetrics, SEMrush, Amplitude, Mixpanel, Kissmetrics e Geckoboard. 

Gostou de acompanhar esse conteúdo? Baixe o Kit Gestor do Futuro e saiba mais sobre gestão de finanças!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.