Dia das Mães 2020: o que esperar da data em tempos de Coronavírus - Blog da Boavista | Conciliação Financeira

Dia das Mães 2020: o que esperar da data em tempos de Coronavírus

O Dia das Mães é um dos períodos mais lucrativos do varejo. Entretanto, com a pandemia de Coronavírus esse cenário deve ser bem diferente em 2020.

A quarentena e o possível endurecimento de medidas para evitar o fluxo de pessoas nas ruas colocam a lucratividade de setores varejistas em cheque.

Será que existirão almoços de família, celebrações ou troca de presentes? Reunimos neste texto algumas análises sobre a data.

Boa leitura!

Como deve ser comportamento do consumidor?

Mesmo com a distância provocada pela quarentena, o brasileiro deve sim seguir comemorando o Dia das Mães. Contudo, o volume será menor neste ano, segundo levantamento da CNDL e do SPC Brasil. Cerca de 68% afirmam que irão comprar algo, ante 78% em 2019.

Pesquisa realizada pela empresa Opinion Box, produzida cerca de 20 dias antes da data, buscou entender o impacto da pandemia nas vendas do dia das mães.

A cada 10 entrevistados, 8 responderam que costumam comprar presentes. Desses, apenas 8% garantiram de que não vão comprar alguma coisa na data comemorativa.

Dos que pretendem presentear alguém este ano, no entanto, apenas 6% acham que vão gastar mais do que no ano passado. 61% acham que os gastos vão ser menores e 33% acham que vão ser igual.
Tipos de presentes

Os dados sobre a intenção de presentear são semelhantes ao índices compilados pelo grupo O Globo sobre o consumo no período.

Entre os artigos que serão escolhidos para dar de presente a pesquisa da empresa de comunicação destaca:

  • perfumes 34%;
  • roupas 29%;
  • chocolates/doces 25%;
  • flores 20%;
  • acessórios 19%;
  • calçado 18%;
  • hidratantes 17%;
  • eletrônicos 12%;
  • eletrodomésticos 12%;
  • maquiagem 12%;
  • vale presente 12%;
  • faça você mesmo 11%;
  • utensílios domésticos 10%;
  • sabonetes 10%;
  • livros 6%;
  • shampoo e condicionador 5%;
  • bebidas 3%.

Apesar de 79% responderam que irão optar pelo e-commerce para presentear, a pesquisa da empresa também aponta alguns temores associados ao consumo durante a pandemia. Mesmo com a pretensão de seguir comprando 21% apontaram os seguintes fatores para não comprar online:

  • Receio de não receber no prazo 36%;
  • não faz compra online 27%;
  • medo de se contaminar 15%;
  • acredita que está mais caro 11%;
  • pretende comprar em loja sem e-commerce 8%;
  • acredita que transação online não é segura 8%.

Mais uma oportunidade de adaptação

Com o comércio fechado e menor intenção de compra, o varejo precisou se reinventar rapidamente para respostas efetivas a esse cenário. As dificuldades são tantas que a Câmara de Ribeirão Preto adiou o Dia das Mães para 14 de junho.

Para enfrentar o revés do atual cenário, a Natura, aproveitando a popularidade das lives durante a quarentena, realizou o anúncio da sua campanha de Dia das Mães durante show virtual da cantora Ivete Sangalo.

A rede de shoppings Iguatemi, em parceria com seus lojistas, montou uma experiência de drive-thru em seus estacionamentos. A ideia é que os estabelecimentos que não podem abrir suas portas possam entregar os produtos nos carros dos clientes.

Devem participar marcas de sapatos, perfumes, vestuário e outros. A iniciativa vai funcionar como um complemento ao e-commerce de cada marca.

Já no Rio de Janeiro, o Governo Estadual lançou uma campanha para estimular a compra online de flores na data comemorativa. Objetivo é ajudar o produtor rural que viu as vendas despencarem com a pandemia.

Gostou do conteúdo? Compartilhe o link com seus colegas de trabalho. Aproveite e assine nossa newsletter para sempre receber nossos materiais em primeira mão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *