OFC, OFX, Money 2000 e CNAB: conheça os arquivos bancários - Blog da Boavista | Conciliação Financeira

OFC, OFX, Money 2000 e CNAB: conheça os arquivos bancários

A conciliação financeira é indispensável para quem deseja continuar crescendo de forma sustentável, além de ser importante para empresas de todos os tamanhos e segmentos.

Entre suas diversas etapas, uma é essencial para empresas de alta performance: a conciliação bancária. Por meio dela, é possível ter precisão e controle sobre as informações de operações relacionadas a boletos e cartões.

Neste texto você vai conhecer os arquivos bancários OFC, OFX, Money 2000, CNAB, entre outros, usados nesse processo. Boa leitura!

Conciliação bancária

Existem diversas maneiras de se fazer este confronto, dependendo do modo em que os dados estão armazenados e como será feita a comparação.

No caso do armazenamento de dados, a empresa pode registrar e organizar de forma manual (cadernos), semi-automática (planilhas) ou automática (com ajuda do ERP). Já as informações bancárias podem ser obtidas no formato físico (extrato impresso), internet banking ou através dos arquivos bancários.

Com os dados em mãos, a conferência das informações pode ser feita por uma pessoa.

Contudo, esse ato envolve imprimir folhas e mais folhas de extrato ou conferir, manualmente, nos subsistemas de contas a receber e a pagar.

Porém, de acordo com a quantidade de lançamentos da empresa isso se torna improdutivo e pode gerar diversos erros na gestão financeira. Esse processo não é eficiente para empresas que têm um alto volume de vendas. É preciso automatizar.

Para iniciar o processo de conciliação bancária automática, você precisa antes conhecer os principais arquivos envolvidos no processo de controle financeiro.

Money 2000 ou OFX

O Open Financial Exchange (OFX), também chamado de Money 2000, foi criado pela CheckFree, Intuit e Microsoft no início de 1997 e, até hoje, é amplamente utilizado para armazenar dados bancários.

Ele contém transações, declarações e outras informações financeiras. É um formato aberto e geralmente não traz outras informações mais sensíveis, como senhas, por exemplo.

Os arquivos OFX possuem duas grandes vantagens que o consolidam como principal arquivo bancário.

permite que o gestor acompanhe as movimentações bancárias de forma mais eficiente;
facilita a importação para programas de gestão utilizado pelas organizações.

OFC

O Open Financial Connectivity Format (ofc) foi amplamente utilizado até 1997, quando foi substituído pelo OFX. Contudo, ele ainda é utilizado por alguns sistemas. É um formato de arquivo que utiliza linguagem tagueada projetado para acomodar as exigências de vários sistemas bancários e de pagamento de contas, local e internacionalmente.

CNAB

O formato CNAB (Centro Nacional de Automação Bancária) foi criado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) para facilitar as trocas de informações entre clientes, empresas e bancos do Brasil. Com ele, se tornou possível identificar pagamentos de boletos e obter a informações automáticas de baixas de boleto e recebimentos em cartão. Existem dois tipos:

CNAB 240

Este layout é um padrão de remessa e de retorno com um número maior de informações configurado em 4 segmentos de 240 posições.

O arquivo permite:

  • Carteiras de cobrança simples e garantidas;
  • utilização do serviço de banco correspondente;
  • pagamento de título e pagamento de conta;
  • postagem de títulos pelos Correios;
  • utilizar serviço de Protesto e de Custódia de Cheques.

CNAB 400

Este layout apresenta uma quantidade menor de informações, limitado a apenas 400 posições.

São características do arquivo:

  • Carteira de cobrança simples e garantida;
  • não permite o serviço de banco correspondente;
  • postagem de títulos pelos Correios;
  • serviço de protesto.

API

Alguns bancos disponibilizam APIs, conjuntos de rotinas e padrões de programação, para ser lidos por outros programas. É precisa realizar integrações com um sistema para ler essas informações

Como obter os arquivos

Para obter seus arquivos de informações financeiras, basta entrar em contato com a sua instituição financeira ou acessar o site do seu banco. Apesar dos formatos citados anteriormente serem os mais populares, não são os únicos. Também é possível exportar o extrato bancário em .PDF e .CSV.

Acessar os arquivos pode até parecer tarefa simples. Entretanto, o processo de entrar, diariamente, em várias contas bancárias diminui a performance da sua empresa.

Você com certeza sabe que empresas maduras e com processos financeiros sofisticados não podem estar sujeitas a erros.

Ao utilizar o e-Extrato Card em sua conciliação, a sua empresa terá disponível um Profissional Service que automatiza e garante o fluxo de informações bancárias.

Nosso software conta com um sistema de inteligência que identifica e filtro todos os lançamentos relacionados à vendas em cartão, não exibindo outros dados que não tenham uma relação direta.

Assim, é possível economizar muito tempo e ir direto ao ponto para fazer a verificação e conciliação com exatidão e se preocupando apenas em resolvê todas as divergências que podem acontecer devido a erros internos na empresa, no banco ou nas adquirentes.

Gostou do texto e quer conhecer mais das nossas soluções? Converse com a nossa equipe e agende uma demonstração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *