Você sabe como calcular a antecipação de parcelas de recebíveis? - Blog da Boavista | Conciliação Financeira

Você sabe como calcular a antecipação de parcelas de recebíveis?

A antecipação de parcelas é hoje um recurso que tanto empresas quanto clientes recorrem por conta de alguns benefícios. Se para o cliente, antecipar as parcelas de uma compra pode significar economia de custos a longo prazo, para as empresas são outros benefícios e cuidados devem ser levados em consideração.

E é sobre isso que veremos neste artigo. Mas antes, vamos compreender como funciona a antecipação de parcelas para as empresas e quais as vantagens para o negócio.

Boa leitura! 

Como a antecipação de parcelas funciona?

Na antecipação de parcelas, o cliente pode solicitar o saldo devedor e escolher quantas parcelas deseja quitar de forma adiantada. Para isso, é preciso quitar possíveis parcelas em aberto, caso exista.

Se a antecipação for aprovada, cabe à empresa estabelecer o quanto de adiantamento de recebíveis pode ser autorizado sem gerar ônus financeiro ao empreendimento.

Isso porque embora existam benefícios – como a antecipação de valores – é preciso levar em consideração alguns pontos negativos, como a dificuldade na organização de recebíveis.

Quais são as vantagens em antecipar os pagamentos para a empresa?

Embora a empresa possa receber menos que o previsto na parcela, a principal vantagem é a entrada de capital antecipado de uma verba que ela só receberia em dois meses, por exemplo.

Com isso, ela terá mais dinheiro disponível em caixa para gestão financeira da empresa a curto prazo, sem precisar recorrer a empréstimos e financiamentos, o que é comum na gestão financeira de muitos empreendimentos que contam com clientes inadimplentes, por exemplo.

Com o dinheiro em caixa, o negócio pode também quitar com antecedência suas dívidas com fornecedores, poderá repor material de estoque, honrar com os custos fixos, como pagamento de funcionários, bem como os variáveis e inesperados, entre outras ações sem prejudicar a saúde financeira do negócio.

Dessa forma, caso a empresa possua dívidas ou outras emergências financeiras, a antecipação de recebíveis é uma opção bastante interessante, visto que um empréstimo, por exemplo, pode acarretar em valores futuros a serem pagos ainda maiores.

Vejamos a seguir, como é calculada a antecipação de parcelas.

Como calcular a antecipação de parcelas? 

Precisamos compreender como as taxas são cobradas sobre cada parcela. Normalmente, incide sobre a parcela a taxa administrativa da bandeira do cartão (MDR). Essa taxa pode variar entre as operadoras  e entre as bandeiras.

Imagine que um cliente realizou uma compra de R$500,00 parcelada em 10x de R$ 50,00. Se a taxa de MDR for 5%, a empresa receberá mensalmente até a data do vencimento estabelecido, o valor de R$ 47,50. Esse valor será recebido pelos 10 meses do parcelamento, totalizando R$ 475,00.

 A taxa de antecipação também é definida pela operadora do crédito e pode variar de uma bandeira para outra, tendo como base os 30 dias de transição de uma parcela para outra, também chamado de prazo médio.

Digamos que a taxa de antecipação seja de 3%, ela então será descontada do valor líquido da parcela (já descontado do MDR).

De forma prática, se o cliente quiser antecipar 4 parcelas, teríamos o seguinte cálculo:

Parcela 1 = R$ 47,5 – 3% = R$ 46,07

Parcela 2 = R$ 47,5 – 6% = R$ 44,65

Parcela 3 = R$ 47,5 – 9% = R$ 43,22

Parcela 4 = R$ 47,5 – 12% = R$ 41,8

Observe que o valor fixo da taxa de antecipação é multiplicado pelo número da parcela, assim quanto maior for o número da parcela, maior será o desconto pela antecipação.

Quando vale a pena antecipar as parcelas de recebíveis?

Como dito anteriormente, a antecipação de recebíveis é bastante viável para empresas que precisam de um respiro financeiro, por conta de dívidas, por exemplo.

No entanto, adotar essa prática com frequência pode colocar a empresa em risco, visto que, ao realizar uma venda parcelada, a empresa sai ganhando ao estar “financiando o cliente”, que deve incluir os custos envolvendo as operações de crédito no preço.

Por isso, o ideal é organizar o fluxo de caixa da empresa e entender muito bem como funciona o capital de giro dela, evitando possíveis endividamentos.

Assim, outras desvantagens da antecipação de recebíveis que as empresas devem ficar atentas são:

  • Depender da antecipação de recebíveis pode gerar um crescimento limitado e acarretar em dificuldades na organização financeira;
  • Limitações para o fluxo de caixa, principalmente caso a empresa não possua recursos o suficiente;
  • Ficar inadimplente.

Modernize seus processos e garanta uma melhor gestão financeira

Como vimos, a antecipação de parcelas é uma prática que tem sido recorrente tanto para ajudar clientes a honrarem com suas dívidas, a fim de reduzir o tempo delas e poder ter crédito livre com mais rapidez. Para as empresas, também pode ser uma medida benéfica, caso planejada com inteligência. 

Nesse caso, a antecipação dos recebíveis pode ajudar empresas a sair do vermelho e diminuir as dívidas. 

No entanto, é preciso compreender como e quanto é descontado em cada antecipação, tendo em mente que o valor final a ser recebido (já descontado o MDR) será menor do que o que se receberia 

Assim, a empresa deve adotar a antecipação de recebíveis de forma inteligente e considerando o total a ser recebido após todos os descontos possíveis. Com isso, ela poderá fazer a gestão financeira sem surpresas ou expectativas frustradas. E mais: poderá quitar dívidas com fornecedores e realizar uma gestão segura dos recebíveis a longo prazo.

Quer aprofundar-se mais nesse assunto? Conheça nosso Guia de Antecipação de Cartão de Crédito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.