Gestão de Capital de Giro: aprenda como fazer corretamente

Como potencializar a gestão de Capital de Giro da sua rede de farmácias

Descubra o poder da gestão de capital de giro para alcançar o sucesso financeiro da sua rede de farmácias. Continue lendo!

Você sabia que o Brasil é o sexto maior mercado farmacêutico do mundo, totalizando R$ 130 bilhões em vendas somente em 2017?

No entanto, esse segmento ainda apresenta deficiências na gestão de capital de giro, causando diversos problemas que comprometem a saúde financeira da empresa.

Pensando nisso, confira a seguir como potencializar a gestão de capital e otimizar a saúde financeira da sua rede de farmácias.

O que é Capital de Giro?

O capital de giro representa o total de recursos demandados pela empresa, para financiar o seu ciclo financeiro. Ou seja, são os:

  • recursos financeiros que se encontram em estoque;
  • os investimentos líquidos (como ações ou os títulos do tesouro);
  • os valores em contas bancárias;
  • os pagamentos a receber;
  • e tudo aquilo que pode ser facilmente convertido para o cumprimento das obrigações e manutenção do bom funcionamento da empresa.

A gestão do capital de giro envolve, de forma geral, as decisões de curto prazo e de natureza financeira da sua rede de farmácias e deve garantir a adequada execução da política de estocagem, compras, vendas e seus prazos.

Uma gestão eficiente de capital de giro fará com que a empresa não precise utilizar capital de terceiros custosos.

Qual a importância da gestão de Capital de Giro em uma farmácia?

Basicamente, o capital de giro representa o quanto a sua rede de farmácias pode desfrutar para cumprir com suas obrigações.

Não é raro encontrar redes de farmácias que trabalham com um capital de giro baixo e acabam incidindo em maior risco financeiro, afinal, quando houver alguma eventualidade como despesas imprevistas, por exemplo, a empresa ficará despreparada.

Isso significa que o capital de giro está diretamente ligado à saúde financeira da sua rede de farmácias e, por isso, é importante saber como realizar a sua correta gestão.

Além disso, é essencial lembrar que existe uma grande diferença entre rentabilidade e liquidez.

Veja:

  • Rentabilidade: retorno sobre os investimentos realizados;
  • Liquidez: capacidade da empresa em cumprir com as suas obrigações no prazo determinado.

Sendo que esta última – a liquidez – refere-se, especificamente, ao planejamento do fluxo de caixa, cujo será determinante para a correta gestão do capital de giro da sua rede de farmácias.

No entanto, uma empresa pode ser rentável, mas mesmo assim apresentar problemas de liquidez. Ou seja, obter resultados econômicos positivos, mas que não se transformam em dinheiro no tempo necessário, o que acabará influenciando em endividamentos.

A principal questão está na duração do ciclo de capital de giro, ou seja, quanto tempo é necessário para converter o “caixa” novamente em “caixa”.

Em outras palavras, quanto maior for o capital de giro, maior será o tempo que a farmácia poderá manter as suas obrigações em dia e em perfeita funcionalidade, ainda que deixe de receber qualquer valor que seja.

Em um cenário razoável, é importante ter em mente uma perspectiva de pelo menos seis meses.

Fatores que podem aumentar a necessidade de Capital de Giro na sua rede de farmácias

Aumento das vendas

Neste caso, o aumento das vendas na sua rede de farmácias pode acarretar uma maior necessidade de recursos para que se possa financiar estoques, armazenagem, entre outros.

Sazonalidade do negócio

Em períodos sazonais, como épocas de baixa das vendas, por exemplo, poderá causar falta de recursos e necessidade de dinheiro para o cumprimento de obrigações já assumidas anteriormente.

Política de negócios

Neste ponto, as mudanças nos prazos médios de compras, de vendas ou de estocagem podem aumentar a necessidade de capital de giro na sua rede de farmácias, afinal há um desequilíbrio entre estes fatores.

Alterações nos preços dos produtos

Essas alterações na precificação dos produtos, geralmente ocasionadas por rebaixas, ou prazos maiores para vendas, poderão ocasionar problemas na rentabilidade e na liquidez da sua rede de farmácias, caso não sejam bem planejadas.

Uso do capital de giro para investimentos fixos

O uso do capital de giro para realizar investimentos fixos pode ocasionar, por um breve período, a falta de dinheiro para sanar as obrigações da sua rede de farmácias.

Quando existe a necessidade de realizar um investimento, é aconselhado avaliar o que o mercado oferece em termos de taxa de juros e carência.

Não recebimento de vendas

Isso pode acontecer por conta de erros no processo de vendas em cartões, seja por ocasião de transação duplicada, cancelamentos ou chargebacks, erros na gestão de recebíveis ou mesmo inadimplência.

Quando esta situação acontece, a empresa tem duplo prejuízo. O primeiro, obviamente, é não receber o dinheiro e o segundo é o fato de a empresa, possivelmente, já ter pago o fornecedor anteriormente e os demais gastos até o momento e, por conta disso, ficar com aquele “furo” no caixa da rede de farmácias.

Este fator, sem dúvidas, acarretará em uma necessidade de capital de giro.

Como calcular o Capital de Giro?

Para fazer o cálculo do Capital de Giro é aconselhável começar pelo ativo circulante, ou seja, os valores relacionados às contas a receber, estoque, antecipação e outros.

As contas do ativo são consideradas investimentos, logo quanto maiores elas forem, maior também será o prazo médio e mais recursos serão necessário para cobrir esse investimento, enquanto não se transforma em dinheiro.

No entanto, é interessante também considerar o passivo circulante, ou seja, as contas a pagar, fornecedores, folhas de pagamento, aluguel, impostos e outras despesas da sua rede de farmácias.

Esses valores no passivo são fontes de recursos, logo quanto maiores forem, menor será a necessidade de investimento em capital de giro.

É importante destacar que todos esses fatores podem variar e, portanto, é imprescindível realizar o cálculo do capital de giro da sua rede de farmácias com frequência e monitorar a empresa a fim de evitar resultados negativos.

A fórmula para realizar o cálculo do capital de giro é bastante simples:

Para calcular o Capital de Giro líquido (CGL), basta somar os Ativos Circulantes (AC) e reduzir os Passivos Circulantes (PC): CGL = AC – PC.

Como fazer a correta Gestão do Capital de Giro na sua rede de farmácias?

O capital de giro é uma peça chave para o sucesso financeiro da sua rede de farmácias, portanto é necessário realizar a sua correta gestão. Confira 5 dicas:

Adote um sistema de gestão (ERP)

Adotar um sistema de gestão na sua rede de farmácias permite que seja possível lançar informações detalhadas de forma muito mais rápida, agilizando consultas futuras aos documentos que foram armazenados.

Além disso, um ERP automatiza a gestão da rede e evita falhas manuais, erros causados pelo fator humano ou mesmo desperdício de tempo.

Se a sua rede de farmácias ainda utiliza o bloquinho de papel para fazer anotações, esse é o momento para se reinventar e adotar um sistema desse tipo, afinal ele permite gerenciar o pessoal pelos dados, checar taxa de assiduidade, índice de produtividade, folhas de pagamento e ainda auxiliar na gestão financeira.

Desenvolva um ótimo planejamento financeiro

Você saberia dizer quais são os pagamentos que a sua rede de farmácias terá que fazer daqui um ano?

Se a sua resposta for não, acredite, muitas outras farmácias também não sabem.

Por isso, desenvolver um excelente planejamento financeiro facilita essa resposta, pois mapeará todas as entradas e saídas de capital, o que é fundamental para compreender todos os fluxos.

Além disso, o planejamento permite que você tenha uma visão muito mais ampla da sua rede de farmácias, garantindo eficácia nas tomadas de decisões.

Faça a correta gestão dos seus recebimentos

O aumento das vendas na sua farmácia exigem uma maior precisão na gestão dos recebimentos, principalmente quando se trata de vendas realizadas via cartões. Portanto, esse valores a receber devem receber uma atenção especial.

Apesar de muitas redes de farmácias optarem por uma antecipação de recebíveis, uma boa gestão de capital de giro faz com que você espere um pouco mais e anula essa opção.

Além disso, é possível prever taxas de inadimplências baseado na carteira de recebíveis e se planejar com cautela e segurança, evitando surpresas de atrasos de pagamentos.

Negocie os prazos com seus fornecedores

Prazo de pagamento é algo super importante para a sua rede de farmácia e não deve ser ignorado, ainda que a empresa tenha dinheiro para pagar a dívida.

Acredite, quanto mais prazo sua farmácia puder ter, melhor. Além disso, esses prazos podem funcionar como moeda de troca, como garantia de descontos em caso de pagamentos à vista, por exemplo.

É importante realizar uma análise das condições da farmácia e definir a melhor alternativa, seja pagar antecipado com desconto ou pagar o valor normal, mas com prazo maior.

Otimize a gestão do seu estoque

É bastante comum encontrar redes de farmácias que realizam comprar em grandes volumes para obter valores menores. E isso é um fato, certo?

No entanto, é preciso que o seu estoque seja capaz de absorver esse novo volume de peças, pois, caso contrário, você apenas estará transformando o seu capital de giro em produtos sem saída.

Por conta disso, é importante integrar o sistema de vendas com a gestão de estoque, de forma que haja um equilíbrio entre o que foi comprado e o que foi vendido, conseguindo prever sazonalidades e até mesmo aumentar o capital de giro.

E aí, vamos fazer acontecer?

A gestão de capital de giro é uma ferramenta fundamental para garantir a saúde financeira da sua rede de farmácias. Além disso, uma boa gestão também influencia de forma positiva o crescimento no médio e longo prazo.

Portanto, contar com um capital de giro bem administrado, independentemente do tamanho da sua farmácia, é fundamental para alcançar o seu sucesso financeiro.

E para chegar lá, é só você colocar a mão na massa e fazer acontecer também. Não é fácil, mas se a sua gestão de capital de giro estiver proporcionando os resultados que sua farmácia espera, então você está no caminho certo.

Percebeu como as nossas dicas podem ajudar você a potencializar o capital de giro da sua rede de farmácias? Continue otimizando e leia também tudo o que você precisa saber para potencializar também o seu fluxo de caixa. Boa leitura!

 

1 Comentário

  1. 14/07/2019 at 12:41 am

    bem interessante, gostei!

     


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *