Como fazer Projeção de Fluxo de Caixa? Veja o passo a passo

Passo a passo de como fazer um Fluxo de Caixa Projetado com maestria

Fazer Projeção de Fluxo de Caixa o com maestria requer atenção à vários fatores ao mesmo tempo, o que pode confundir o gestor financeiro. Aprenda agora quais passos seguir para criar uma projeção perfeita, priorizando a qualidade!

Sabemos que fazer uma boa projeção do fluxo de caixa não é uma tarefa simples.

Afinal, há vários detalhes para os quais um gestor deve se atentar, como a previsão de recebimentos, as datas de pagamento, os dados anteriores de entradas e saídas do fluxo de caixa, entre outros.

Então, como montar um fluxo de caixa projetado com excelência?

Como fazer Projeção de Fluxo de Caixa? Confira o passo a passo:

  • Primeiro passo: defina o intervalo de tempo que a projeção vai abranger;
  • Segundo passo: busque as informações dos pagamentos e recebimentos e administre corretamente todas as entradas e saídas da empresa;
  • Terceiro passo: anote o prazo médio de recebimento de todos os pagamentos da vendas e operações, fazendo uma previsão de todos os recebimentos;
  • Quarto passo: anote os prazos médios dos seus gastos e faça uma previsão de todos os pagamentos;
  • Quinto passo: sempre leve em consideração fatores como a sazonalidade do seu negócio;
  • Sexto passo: finalmente, depois de todo esse levantamento, é hora de fazer a sua previsão de caixa.

Para ajudar você, montamos um passo a passo detalhado. Vamos lá?


Como fazer Projeção de Fluxo de Caixa passo a passo:

Defina o intervalo de tempo do Fluxo de Caixa Projetado

Não há como começar uma projeção de fluxo de caixa sem saber o intervalo de tempo que a projeção vai abranger. E esse intervalo pode variar de acordo com o seu objetivo atual.

Tudo isso são traços fundamentais para a elaboração de um Fluxo de Caixa Projetado coerente com as necessidades da empresa.

Um exemplo:

A sua finalidade é descobrir se a empresa estará no mesmo ritmo em um ano ou apenas saber quanto deverá investir nos próximos meses?

A resposta deixará claro qual o intervalo deve ser escolhido.

No entanto, independente da resposta, é necessário começar com o saldo inicial que você tem hoje em mãos. É a partir desse valor que será possível projetar os seus recebimentos e pagamentos.

Busque as informações dos pagamentos e recebimentos anteriores

Por falar em conhecer esses dados, o que você sabe sobre as informações dos pagamentos e recebimentos? Você consegue imaginar a importância desse controle?

É fundamental administrar corretamente todas as entradas e saídas da empresa, afinal de contas o seu fluxo de caixa é uma projeção, e não uma adivinhação.

Logo, ele deve ser baseado em dados reais.

Uma tática relevante é procurar sempre manter uma descrição dos pagamentos e recebimentos organizados por períodos.

Além disso, o controle de despesas é fundamental para obter essas informações.

Com esse histórico em mãos, é possível estimar suas vendas prováveis para o intervalo de tempo que a projeção de fluxo de caixa vai contemplar e ter uma ideia do nível de vendas mensais que a empresa pode esperar.

Não é provável que essas informações sejam constantes, por isso é importante incluir padrões de sazonalidade, eventos e promoções nas projeções.

Faça uma previsão de todos os recebimentos

O seu próximo passo deve ser anotar o prazo médio de recebimento de todos os pagamentos da vendas e operações.

Ou seja, o tempo entre a venda e o recebimento do dinheiro.

Essa informação é importante, pois existem muitas formas de pagamento a prazo, portanto é fundamental saber quando o valor das transações está previsto para entrar na conta bancária da empresa.

É preciso analisar as contas anteriores com cuidado para saber qual o percentual faturamento que entra no caixa da empresa à vista e o quanto entra a prazo.

Lembre-se: nem todas as vendas representam dinheiro no caixa imediatamente, e você não pode se basear em uma estimativa para organizar suas contas. Tenha sempre certeza das suas informações.

Uma dica importante, é sempre considerar o índice de inadimplência, pois pode fazer diferença no seu caixa.

Determine a data dos seus pagamentos

Além de saber o prazo para o seus recebimentos, você também deve anotar os prazos médios dos seus gastos.

Ou seja, o tempo médio entre a data de compra e pagamento dos seus fornecedores.

É bem provável que esses pagamentos sejam parte de gastos fixos e variáveis, ou seja:

  • Gastos fixos são aqueles que você precisa pagar, independente de quantas vendas você faça, como salários dos funcionários e contas de água e energia, por exemplo;
  • Já os gastos variáveis variam conforme as suas vendas, são as compras de produtos ou despesas de entrega, por exemplo.

Você deve usar a sua previsão de vendas para saber quanto de estoque, por exemplo, você vai precisar para manter a empresa.

Não deixe de anotar também outras contas que você precisa pagar e quando precisará pagá-las, como impostos ou as taxas de cartão, por exemplo.

Tenha bastante atenção à sazonalidade

Imagine que você fez uma projeção se baseando no período de outubro a dezembro, sendo que, no seu segmento, o período de maior movimento são os primeiros meses do ano, por exemplo.

A sua previsão pode ser falha. Afinal, você assume compromissos contando com esse faturamento e pode estar colocando a saúde financeira da empresa em risco.

Logo, é muito importante sempre levar em consideração fatores como a sazonalidade do seu negócio e usar períodos maiores para calcular a média e garantir maior precisão na sua projeção de fluxo de caixa.

Lembre-se que você sempre deve ter certeza das suas informações. Se ficou alguma dúvida, faça sempre outra análise para se certificar.

Afinal de contas, um fluxo de caixa mal projetado pode afetar bastante a sobrevivência financeira da empresa.

Esse é o momento de fazer as suas previsões

Finalmente, depois de todo esse levantamento, é hora de fazer a sua previsão de caixa.

Esse valor final é por onde você deve se basear para planejar investimentos ou mesmo fazer compras para a empresa. Afinal, é um montante não comprometido com as despesas usuais.

Para descobrir o seu fluxo de caixa projetado é simples:

  • Basta adicionar o saldo inicial da conta bancária;
  • Adicionar a receita menos as despesas para cada período, semanal ou mensal;
  • E, por fim, estruturar todos os dados;
  • O valor final apresentará um possível quadro da sua empresa.

Como a base de tudo são as tendências e valores estimados, os resultados podem ou não se concretizar.

Por isso, é tão importante fazer toda a análise com cuidado e ser metódico ao selecionar as informações.

Além disso, quanto mais detalhes melhor, portanto lembre-se de atualizar as informações diariamente, se possível.

Agora que você já sabe tudo sobre como fazer um Fluxo de Caixa Projetado com excelência, aproveite para aprender mais! Que tal saber mais sobre Fluxo de Caixa antes de fazer sua projeção? Leia agora mesmo: Fluxo de caixa: tudo o que você precisa saber para ter sucesso e potencializar seu negócio

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *